Lendo um artigo em A Mente é maravilhosa sobre: As vezes não é o amor que acaba e sim a paciência (Valerya Amanhecer), esse tema me chamou a atenção.
Sempre me perguntava qual era o limite entre a paciência e passividade. Essa linha que divide essas competências me faziam questionar se quando eu desistia de algo, estava fugindo ou sendo covarde. E ao mesmo tempo se estava sendo corajosa optando por minha dignidade.
É muito difícil encontrar as respostas nas experiências das outras pessoas, porque bem no fim quem calça seu sapato é você e só nós sabemos a hora que aquele sapato esta machucando, apertando ou se ele esta gostoso e permitindo andar sem se machucar.
É muito importante esse processo de saber perceber qual é o nosso limite. O nosso, não o do outro. Só você poderá sentir e saber quando chegou o momento de não ter mais paciência, de não mais esperar para agir. Fazer algo diferente, pode ser sair de um relacionamento, mudar de trabalho, conceber um filho, tirar um ano sabático, entrar numa nova faculdade, entre tantas decisões que precisamos tomar na vida e as vezes adiamos por medo, insegurança ou falta de certeza. Seguindo anos a fio num relacionamento sem amor, num trabalho que martiriza, com uma vida que não traz alegrias. A hora certa sempre chega, e quando chega ninguém mais te segura. Se você as vezes fica com dúvidas, devo esperar, ter mais paciência ou devo desistir? Tenha certeza que quando for a hora você saberá exatamente o que fazer.
O principal aspecto que quero colocar aqui é que sinta e se perceba, a hora que quiser sair e insistir em ficar, pode ser que você comece o processo de passividade e é nesse momento que o que esta claro pra você começa a virar permissividade e vem junto com ela as desculpas: Ah! Uma hora isso vai dar certo, uma hora ele muda, talvez esse seja meu karma, ainda estou aprendendo muito com isso, não é tudo ruim, tem muita coisa boa também, ah já estou há vinte anos, vou mudar agora pra que? Vou trocar seis por meia dúzia? Todas essas e outras desculpas são justificativas para a falta de coragem de mudar, romper, recomeçar outra historia.
As vezes pra se desapegar da insistência é preciso um tanto de coragem, fé e entrega pra si mesmo. Se escutar e se respeitar!
A hora certa de fazer isso? Sinta e se escute, não existe outra maneira.
Corro risco de me arrepender? Pode ser que sim! Cem por cento de certeza nunca vai ter. Mas no fundo de seu coração, tenho certeza que você saber o que quer!